Canter
   Techni-Cal
   Instinct
   Nutrivet
   Schesir
   Techni-Cal
   Instinct
   Schesir
   Trovet Dog
   Trovet Cat
   Corpet
Brinquedos
   SuperPrice
   PetProject
   Extreme Classic Litter
   Roll'n Clean Litterbox
 
Promoções
Catálogo
 
Pedir Amostra
Cartão Cliente
 
 
 
 
Manuais PetEmotions
Newsletter Emotions
Emotions nos Media
Calendário Emotions
FAQ's
Notícias
Pergunte-nos
Links
Classificados
Recomende-nos!
 
 
FAQ - Perguntas Frequentes
 
  Ao contrário dos alimentos para humanos, os alimentos para animais de estimação foram concebidos para ser a sua única fonte de alimentação. São alimentos que cumprem todos os requisitos nutricionais necessários a uma vida saudável do seu cão ou gato.

  São produtos de primeira, por isso mais caros. Têm sua formulação baseada em carne de frango, ovelha, peru... Portanto, realmente carne (o que é diferente de "subprodutos"). Tais ingredientes, de origem animal, têm maior digestibilidade, ou seja, o trato digestivo canino tem menos "trabalho" para metabolizá-los. Esta é outra característica das rações premium: como a digestibilidade é maior, o consumo diário de ração é menor (o que ameniza o preço da ração). Promovem ainda uma vida mais saudável e reduzem o volume das fezes do animal.

  Os ingredientes nos alimentos para animais de estimação estão listados por ordem descendente, do mais importante (maior percentagem do total) para o menos importante. Por exemplo, se é frango o primeiro ingrediente na lista, então o alimento terá mais frango que qualquer outro ingrediente.

  O regulamento para a etiquetagem de alimentos para animais de companhia é muito mais estrito que o de alimentos para humanos. Por exemplo um pacote de sumo de laranja para consumo humano pode ter menos de 20% de sumo de laranja, no entanto, um alimento para cães que diga “Alimento de Carne para Cães” deve ter 95% de carne.
Uma etiqueta de um alimento para animais de companhia que diga “Prato de Frango” ou “Fórmula de Borrego” apenas necessita ter 25% de frango ou borrego enquanto que “Prato de Pato e Batatas” deve ter 25% do alimento composto por aqueles dois ingredientes, com pelo menos 3% de batatas. Um alimento que diga na sua etiqueta “...Com Carne (ou com qualquer outro ingrediente)...” deve ter pelo menos 3% de carne na sua composição. Finalmente, se numa etiqueta diz “Sabor a Frango”, então deve ter a quantidade suficiente apenas para que o produto tenha o sabor a frango. Não importa de que ingrediente se trate, se a etiqueta o menciona, o seu conteúdo deve respeitar as regras acima mencionadas.

  Os subprodutos são parte dos animais que os humanos habitualmente não consomem. Por exemplo, se um frango foi criado para consumir as suas carnes brancas, a carne restante é considerada um subproduto.
Os subprodutos utilizados nos alimentos para animais de companhia são uma fonte importante de proteínas, hidratos de carbono, vitaminas, minerais e aminoácidos essenciais. Como todos os ingredientes incluídos nos alimentos, os subprodutos provenientes de animais ou cereais são seguros, nutritivos e aprovados.

  As instruções de alimentação do alimento para o seu cão ou gato foram desenvolvidas especificamente para um alimento em particular, levando em consideração a raça, a idade e o nível de actividade deles. Uma alimentação baseada apenas na experiência com outros produtos não lhe dá garantia de apropriada nutrição do seu animal de estimação.
Os animais de estimação, tal como as pessoas, comem demais se tiverem oportunidade. As quantidades de alimento estão estudadas para prevenir obesidade, que pode ocasionar problemas de saúde.

  O alimento para animais de estimação foi criado para ser a única fonte de nutrição para um cão ou gato saudável. A suplementação da dieta com sobras ou outros alimentos para humanos não é necessária já que pode causar problemas de saúde. Estas sobras de alimentos frequentemente têm açúcar em demasia, demasiado sal, gordura e outros ingredientes que não são adequados para os animais de estimação. Alguns alimentos, como o chocolate para os cães e a cebola para os gatos, são até venenosos e podem causar graves problemas de saúde.

  Os cães e gatos têm necessidades nutricionais especiais e devem ser alimentados com alimentos próprios para cada um deles. O cão necessita de menos proteínas e gorduras e mais amido, para satisfazer sua necessidade do que o gato. Os gatos não podem comer alimentos para cães porque este não lhe fornecerá todos os nutrientes essenciais que um gato saudável precisa, como é exemplo a taurina, um aminoácido fundamental para a sua sobrevivência.

  Se decidiu mudar a dieta do seu animal de companhia, os veterinários recomendam que o faça lentamente. As mudanças rápidas na dieta podem causar distúrbios na digestão e outros problemas. Quando mudar o alimento ao seu animal de companhia, comece misturando um pouco do novo alimento com o seu alimento regular. Nos próximos três a cinco dias aumente gradualmente a quantidade do novo alimento. Depois deste período de transição, o seu animal de estimação adaptar-se-á melhor ao seu novo alimento.

  Os cães devem começar a mordiscar a ração seca a partir dos 30 dias de idade, humedecida em água, altura em que devem começar a reduzir o alimento da mãe. Quando são pequeninos os filhotes comem três a quatro vezes por dia e as suas necessidades energéticas são o dobro das de um cão adulto do mesmo tamanho. Deve sempre administrar um alimento específico para cachorros que promova o desenvolvimento muscular e ósseo e ainda lhe proporcione altos níveis de energia. Deve também conter cálcio e vitamina D para crescer com ossos e dentes fortes.

  Os cães adultos precisam uma dieta equilibrada para os ajudar a manter-se activos e saudáveis durante toda a vida. Quando escolher a alimentação do seu cão adulto procure uma boa fonte de proteína, antioxidantes (que ajudam a manter o sistema imunitário saudável), ácidos gordos omega 3 e 6 (para um pêlo brilhante e sedoso), cálcio, vitaminas A, C, D3 e E.

  A refeição de borrego é altamente palatável (para os mais exigentes), de fácil digestão e é uma alternativa à dieta baseada em proteína de frango. Normalmente o paladar dos cães escolhe o borrego como seu prato favorito.

  Entre os cinco e os sete anos, o metabolismo e o nível de actividade dos nossos amigos abranda. Isto significa que necessitam de uma alimentação com menos calorias, mais vitaminas e menos minerais que permitam reduzir o stress nos seus órgãos vitais. Techni-Cal Sénior contém 330 calorias por chávena enquanto o Adult contém 410 calorias.

  A aparência e condição da pele e pêlo são excelentes indicadores do seu bem-estar geral. Uma pele limpa e saudável e um pêlo vibrante são sinais de saúde.
Uma alimentação deficiente em proteína de qualidade pode ser detectada pelo engrossamento da pele, excessiva pigmentação desta e perda de pigmentação no pêlo. Factores nutricionais que afectam positivamente a pele e pêlo do cão incluem boas proteínas, aminoácidos essenciais, ácidos gordos essenciais, vitaminas e minerais. Em certas alturas do ano, 30% de toda a proteína ingerida é consumida pela pele e pêlo do cão.

  Examinar as fezes do seu cão ou gato é uma forma excelente de medir e avaliar a sua dieta e saúde digestiva e de provar a si mesmo que o alimento que lhe dá resulta. A qualidade das fezes é determinada por cinco factores:
1. A digestibilidade dos ingredientes;
2. A qualidade das fibras;
3. A condição geral de saúde;
4. O nível de actividade;
5. O quantidade de água ingerida.
Quando os cinco factores estão balanceados, as fezes do seu cão ou gato são firmes, escuras e exibem reduzido odor (sinal da presença de Pré e Probióticos, como o extracto de Yucca, que favorecem a flora intestinal diminuindo o amoníaco responsável pelo mau odor). Caso haja algo de errado, as fazes apresentar-se-ão moles, soltas, aguadas, de cor clara e odoríferas.

  A melhor forma de determinar o estado de saúde geral de um animal de estimação é visitar um veterinário. No caso de excesso de peso, o seu veterinário aconselhará um alimento específico ou simplesmente reduzir a quantidade da dieta actual. Para evitar a obesidade é aconselhável evitar as sobras pois contém demasiada gordura e açúcares.

  Ao longo do tempo, os cães podem desenvolver alergias a alguns ingredientes como a proteína animal, milho, trigo, ovos e derivados do leite. Coçar e morder a pele (quando não estão presentes parasitas) pode ser um sinal de alergias alimentares. Se o cão tem um estômago sensível deve-se considerar uma dieta livre de todos os ingredientes atrás referidos. Techni-Cal Vegetarian, por exemplo, é formulado com soja, arroz, cevada, cenoura, tomate e batata para que tenha todas as vitaminas e minerais necessárias a uma alimentação saudável, sem proteína de origem animal, nem trigo ou milho. É um alimento 100% balanceado sem necessidade de qualquer suplementação.

  Durante as primeiras cinco semanas (um pouco mais) da gestação apenas há crescimento fetal regular, pelo que não se necessitam alterações na alimentação. A partir da quinta semana, o crescimento fetal dispara e aumenta muito as necessidades nutritivas, bem como, diminui a capacidade de ingestão (estômago está sob pressão, comprimido). Devem comer alimentos muito energéticos, proteicos e digestíveis e dar várias pequenas tomas por dia.
A quantidade de alimentos será 25% a 50% mais que em regime de mantimento.

  Nas gatas o aumento de peso é regular em toda a gestação, portanto deve-se aumentar a comida a partir da segunda semana de gestação, para chegar a 25%-50% mais que as suas necessidades de mantimento, no final desta. Alimentar em pequenas doses muitas vezes ao dia.

  O mais importante é dar a quantidade de calorias e água necessárias. As necessidades energéticas aumentam 200% a 300% em relação ao mantimento, sobretudo entre a 3ª e 5ª semana, quando as crias já são maiores. A dieta deve ser abundante em nutrientes e de boa digestibilidade. Administrar várias pequenas refeições extra por dia e começar a reduzir a quantidade de alimento a partir de 4ª ou 5ª semana. (Transitar de crescimento para mantimento misturando-as inicialmente para evitar diarreias, quando os gatinhos deixam de mamar, já a mãe deve estar em mantimento). Nunca esquecer que a mãe e as crias devem ter sempre água disponível em abundância.

  Os cachorros começam a consumir alimentos por volta da 3ª – 4ª semana (início do decréscimo da alimentação na mãe) para desmamar por volta da 8ª Semana. Se a mãe está em boas condições físicas, deve-se começar a reduzir o alimento a partir da 4ª ou 5ª semana. No dia do desmame não dar comida. Nos dias seguintes reintroduz-se 25%, 50%, 75% e 100% das necessidades de mantimento.

  Leia os rótulos das embalagens, aprenda tanto quanto possível acerca de nutrição animal e depois compare.
Peça o conselho de alguém cujo único negócio é a venda de alimentos para animais e outros produtos. Alimentos de qualidade estão exclusivamente presentes em lojas da especialidade, não sendo possível encontrá-los nas grandes superfícies.
Pergunte a um amigo ou vizinho, cujo cão ou gato admire.
Verifique a credibilidade do fabricante cujo nome está na embalagem. Limite a escolha a fabricantes que se dediquem exclusivamente à produção de alimentos de alta qualidade (Premium e Super Premium) e que estejam no ramo há alguns anos.
Envolva o seu amigo no processo de decisão! Experimente os melhores alimentos e escolha aquele que ele mais gostar.

  Para além de perguntar ao seu veterinário, pode contactar a PetEmotions através do número 800 206 370 (Número Verde - Gratuito Rede Fixa - 9h às 18h) ou por correio electrónico (ask@petemotions.com).

 
Enviar a um Amigo | Adicionar aos Favoritos | Política de Privacidade